11 de Março de 2013

"Being in love is not what I expected."
SKIM
Mariko Tamaki & Jillian Tamaki
Groundwork Books, 2010
144 págs., P&B

Skim é o nome pelo qual Kim Cameron é chamada pelos colegas. Não se trata de um trocadilho inteligente, é simplesmente uma forma adolescente de evidenciar e ridicularizar alguém que não faz parte da norma.
Kim tem 16 anos, excesso de peso e os seus pais estão (rancorosamente) divorciados. Ela e a sua melhor amiga, Lisa, a prototípica adolescente rebelde, pertencem à religião Wicca e são, aos olhos dos outros, "góticas". Quando o namorado de uma das suas colegas comete suicídio, a vida de Kim parece querer enveredar pelos mesmos caminhos do suicida.
A morte de alguém, mesmo que de um desconhecido, ecoa na vida de Kim e inicia um processo de auto-descoberta que lhe permite crescer e questionar o papel dos outros na sua vida. 
O fantasma do suicídio atravessa a narrativa. As suas causas e repercussões são força motriz da história. A reacção à morte e ao amor é tema comum às diversas personagens e a variedade de opções perante uma mesma situação é muito bem explorada. É de pequenos pormenores que as irmãs Tamaki constroem um pequeno universo de relações. Tantos os diálogos certeiros de Mariko como o desenho "solto" de Jillian retratam fidedignamente os diversos aspectos da adolescência: as dúvidas, a indecisão, a pressão de pares e a absoluta (des)confiança do que se é capaz.

1 comentário: