4 de Janeiro de 2019

É sexta-feira e, como tal, empatizo com o Boss AC mas as razões pelas quais não tenho um tostão no bolso é porque comprei comics. De lojas de norte a sul do país, estes são os floppies desta semana.

BOOKS OF MAGIC #1
Kat Howard, Tom Fowler & Jordan Boyd
Vertigo Comics, 2018
22 págs., tetracromia, floppy

O Tim Hunter estava destinado a ser o maior mago de sempre. Só tinha de fazer essa escolha. Agora que a fez, percebe que há custos e consequências para qualquer acto. Mesmo o acto mágico.
Reintroduzir o "Books of Magic" não é de génio, escolher as pessoas certas para continuar um clássico é mais difícil. Aparentemente a escolha não foi má já que a escrita e arte do livro têm qualidade.

DIE #1
Kieron Gillen, Stephanie Hans & Clayton Cowles
Image Comics, 2018
34 págs., tetracromia, floppy

Um grupo de adolescentes inicia um jogo de role play e desaparece durante dois anos. O segredo guardado por todos assombra-os durante 25 anos. Quando o dado de um deles aparece misteriosamente, são obrigados a confrontar-se com o passado.
Inicialmente reticente, fiquei agarrado à leitura embora a arte pintada não me diga muito.

OUTER DARKNESS #1
John Layman & Afu Chan
Image Comics, 2018
26 págs., tetracromia, floppy

A nave Charon capitaneada pelo rebelde Josh Rigg inicia a sua missão de resgate no quadrante Sagitário.
Uma mistura de ficção científica com o sobrenatural, a mimetizar o ambiente de "Star Trek". A arte de Afu Chan faz lembrar os animes espaciais dos anos 80. Layman acaba por seduzir com o seu humor e diálogo vivo.

PRODIGY #1
Mark Millar & Rafael Albuquerque
Image Comics, 2018
27 págs., tetracromia, floppy

Edison Crane é um prodígio capaz de fazer tudo. É isto.
Millar no seu melhor que é o mesmo que dizer no seu pior - a atirar para a parede a ver se cola.
A arte de Rafael Albuquerque é competente se por vezes as caras das personagens secundárias são genéricas.
Vão ler "Planetary" de Ellis e Cassaday e não têm de quê.

THE SILVER SURFER: THE BEST DEFENSE #1
Jason Latour
Marvel Comics, 2019
30 págs., tetracromia, floppy

O Silver Surfer é o arauto de Galactus, o devorador de mundos. A sua missão é encontrar planetas merecedores de saciar a fome do seu mestre.
Esta é uma autêntica... Latour de force (badumtss) de arte, o enredo e os laivos filosóficos fazem lembrar a "Parable" de Stan Lee e Moebius.


Do muito bom ("Die") ao bom ("Books of Magic" e "Outer Darkness") ao medíocre ("Silver Surfer") ao kill it with fire! ("Prodigy"), o que mais me surpreendeu nas leituras desta semana foi a variedade de número de páginas destes floppies. A tradição já não é o que era.

Sem comentários:

Publicar um comentário